?>
  • VI Seminário Nacional Investigando Práticas de Ensino (SNIPE)

  • IV Seminário Internacional de Práticas Pedagógicas Inovadoras (SIPPI)

  • Competências gerais da BNCC:
    desafios da prática pedagógica na sociedade contemporânea
  • Programe-se!

    Faltam:
    Dias
    Horas
    Minutos
    Segundos

    Quando

    20 de outubro de 2018

    Onde

    Faculdade Padre João Bagozzi Unidade Portão

    Horário (de Brasília)

    7:30 - 12:00

    14:00 - 18:00

    Submissão de trabalhos

    Os trabalhos devem ser submetidos até o dia 10 de setembro. Os trabalhos só podem ser submetidos se o participante já tiver realizado a inscrição.

    Saiba como enviar

    Sobre o evento

    Dando continuidade ao compromisso de promover a atualização permanente dos professores de escolas e municípios conveniados, a Editora Positivo realiza, no dia 20 de outubro de 2018, na Faculdade João Bagozzi, em Curitiba, o VI Seminário Nacional Investigando Práticas de Ensino em Sala de Aula e, novamente em parceria com a Universidade de Lisboa, o IV Seminário Internacional de Práticas Pedagógicas Inovadoras.O evento deste ano tem como pano de fundo a temática das competências. O objetivo é incentivar o estudo e a materialização de práticas de ensino e metodologias que favoreçam a aprendizagem ativa dos alunos, assim como analisar e divulgar experiências inovadoras dos professores acerca do fazer pedagógico em sala de aula, com o uso dos recursos didáticos e tecnológicos da Editora Positivo.

    O campo temático das competências em educação é muito relevante e volta ao centro do cenário educacional em nosso país com a recente homologação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), agora com força de lei, garantida por uma política de Estado, e não de governo.

    Com o tema Competências gerais da BNCC: desafios da prática pedagógica na sociedade contemporânea, o seminário entra em sintonia com as reflexões mais atuais no contexto da educação brasileira e mundial.

    Mais informações sobre o evento

    A BNCC reconhece que “a educação tem um compromisso com a formação e o desenvolvimento humano global, em suas dimensões intelectual, física, afetiva, social, ética, moral e simbólica” (Brasil, 2018, p. 16). Para alcançar aprendizagens específicas em todas essas dimensões, foram estabelecidas, pelo documento oficial, dez competências gerais com a finalidade de garantir a formação integral dos alunos na Educação Básica das escolas brasileiras. De acordo com o documento da BNCC: “Ao longo da Educação Básica, as aprendizagens essenciais definidas na BNCC devem concorrer para assegurar aos estudantes o desenvolvimento de dez competências gerais, que consubstanciam, no âmbito pedagógico, os direitos de aprendizagem e desenvolvimento (Brasil, 2017, p. 8, grifo do original).

    As competências gerais devem ser tratadas de forma inter-relacionada nas propostas didáticas destinadas à Educação Infantil, ao Ensino Fundamental e ao Ensino Médio.

    As dez competências gerais da BNCC (Brasil, 2017, p. 9-10) são descritas a seguir.

    COMPETÊNCIAS GERAIS DA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR

    COMPETÊNCIA 1 – Conhecimento

    “Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobre o mundo físico, social, cultural e digital para entender e explicar a realidade, continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.”

    COMPETÊNCIA 2 – Pensamento científico, crítico e criativo

    “Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a investigação, a reflexão, a análise crítica, a imaginação e a criatividade, para investigar causas, elaborar e testar hipóteses, formular e resolver problemas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas.”

    COMPETÊNCIA 3 – Repertório cultural

    “Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da produção artístico-cultural.”

    COMPETÊNCIA 4 – Comunicação

    “Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, bem como conhecimentos das linguagens artística, matemática e científica, para se expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.”

    COMPETÊNCIA 5 – Cultura digital

    “Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.”

    COMPETÊNCIA 6 – Trabalho e projeto de vida

    “Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências que lhe possibilitem entender as relações próprias do mundo do trabalho e fazer escolhas alinhadas ao exercício da cidadania e ao seu projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade.”

    COMPETÊNCIA 7 – Argumentação

    “Argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias, pontos de vista e decisões comuns que respeitem e promovam os direitos humanos, a consciência socioambiental e o consumo responsável em âmbito local, regional e global, com posicionamento ético em relação ao cuidado de si mesmo, dos outros e do planeta.”

    COMPETÊNCIA 8 – Autoconhecimento e autocuidado

    “Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e emocional, compreendendo-se na diversidade humana e reconhecendo suas emoções e as dos outros, com autocrítica e capacidade para lidar com elas.”

    COMPETÊNCIA 9 – Empatia e cooperação

    “Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer natureza.”

    COMPETÊNCIA 10 – Responsabilidade e cidadania

    “Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.”

    Percebe-se que as dez competências estão relacionadas entre si e todas elas refletem o compromisso da escola com a formação integral dos estudantes. A finalidade é que o processo de escolarização garanta direitos de aprendizagem para que todos os alunos possam exercer plenamente a sua cidadania por meio da atuação responsável, crítica, solidária e autônoma nos diversos âmbitos de convivência social.

    Ao definir essas competências, “a BNCC reconhece que a ‘educação deve afirmar valores e estimular ações que contribuam para a transformação da sociedade, tornando-a mais humana, socialmente justa e, também, voltada para a preservação da natureza’ (BRASIL, 2013)” (Brasil, 2017, p. 8).

    Diante da necessidade de auxiliar os estudantes no desenvolvimento dessas competências, entende-se que é imprescindível ofertar um espaço de reflexão para a práxis docente. Desse modo, parte-se do pressuposto de que as competências que os alunos devem aprender, consequentemente, são as mesmas que devem orientar o processo de ensino dos professores (Zabala; Arnau, 2010).

    Mas, o que se entende por competência?

    “Na BNCC, competência é definida como a mobilização de conhecimentos (conceitos e procedimentos), habilidades (práticas, cognitivas e socioemocionais), atitudes e valores para resolver demandas complexas da vida cotidiana, do pleno exercício da cidadania e do mundo do trabalho” (Brasil, 2017, p. 8, grifo do original).

    Dessa definição, destacam-se duas caraterísticas básicas que impactam diretamente no processo de ensino e aprendizagem de competências, quais sejam: (1) trabalhar conhecimentos inter-relacionados a habilidades e atitudes; e (2) garantir que os alunos aprendam a resolver problemas reais em situações concretas que emergem da realidade social.

    Com essas características, as competências revelam um forte elemento procedimental que articula um conhecimento, do ponto de vista teórico, a uma função prática no contexto real, permitindo ao aluno relacionar, de maneira significativa, um saber conceitual a um fazer prático. Assim, a competência garante ao aluno o domínio do “saber fazer”, que o credencia a resolver problemas de acordo com determinado contexto e com determinada situação.

    Portanto, o desafio do ensinar e do aprender competências exige, necessariamente, uma ruptura com práticas pedagógicas conservadoras centradas apenas em métodos expositivos e no saber do professor. É preciso agregar à prática pedagógica uma diversidade de métodos, inclusive os expositivos, desde que não recaiam em memorizações mecânicas, que garantam o protagonismo dos alunos, promovam a iniciativa, mobilizem a atividade cognoscitiva e levem em conta o saber, por meio da ativação de conhecimentos prévios, entre outras características.

    Com esse entendimento sobre as competências, os encaminhamentos metodológicos devem levar os alunos a analisar as contradições e os problemas sociais vinculados aos temas contemporâneos que afetam a vida humana em escalas local, regional e global, incentivando-os a encontrar soluções viáveis para eles.

    Alguns desses temas, mencionados pela BNCC, são os seguintes:

    • Direitos da criança e do adolescente.
    • Educação para o trânsito.
    • Educação ambiental.
    • Educação alimentar e nutricional.
    • Processo de envelhecimento, respeito e valorização do idoso.
    • Educação em direitos humanos.
    • Educação das relações étnico-raciais e ensino de história e cultura afro-brasileira, africana e indígena.
    • Saúde, vida familiar e social.
    • Educação para o consumo.
    • Educação financeira e fiscal.
    • Trabalho, ciência e tecnologia.
    • Diversidade cultural.

    O seminário busca dar espaço para experiências metodológicas de sala de aula que tratem das competências gerais da BNCC articuladas a esses e outros temas da sociedade contemporânea, preferencialmente de forma transversal e integradora em todos os componentes curriculares e etapas de ensino.

    Referências

    BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Versão final. Brasília: MEC/SEB, 2017.

    ZABALA, Antonie; ARNAU, Laia. Como aprender e ensinar competências.  Porto Alegre: Artmed, 2010.


    Realização

    Apoiadores

    Programação

    O evento apresenta algumas atividades com transmissão/participação via internet. Todas as atividades online estão marcadas na tabela de programação em azul e negrito. A seguir você encontra a programação presencial e das atividades transmitidas online do VI SNIPE e IV SIPPI de acordo com a sua realização nos horários do Brasil e de Portugal.

    20 / outubro / 2018

    HorárioAtividadesLocal
    Brasil
    Portugal
    07h30 às 08h00
    10h30 às 11h00
    Credenciamento Rua Caetano Marchesini, 952 (Recepção)
    Brasil
    Portugal
    08h00 às 08h15
    11h00 às 11h15
    Abertura Auditório Prof.ª Hilde
    Brasil
    Portugal
    08h15 às 09h30
    11h15 às 12h30
    Auditório Prof.ª Hilde
    Brasil
    Portugal
    09h30 às 10h00
    12h30 às 13h00
    Coffee Break Corredor do 3º andar
    Brasil
    Portugal
    10h00 às 12h00
    13h00 às 15h00
    Brasil
    Portugal
    12h00 às 13h30
    15h00 às 16h30
    Almoço
    Brasil
    Portugal
    14h00 às 15h30
    16h30 às 18h30
    Brasil
    Portugal
    15h30 às 16h00
    18h30 às 19h00
    Coffee Break Corredor do 3º andar
    Brasil
    Portugal
    16h00 às 18h00
    19h00 às 20h00
    Auditório Prof.ª Hilde
     TRANSMISSÃO ONLINE
    <
    Palestrantes:

    João Filipe Matos

    Mini Currículo

    Neuza Sofia Guerreiro Pedro

    Mini Currículo
     TRANSMISSÃO ONLINE
    A partir de 25 de setembro, clique sobre o nome do grupo para ter acesso aos horários, autores e trabalhos que serão apresentados.
    Um relato de experiência corresponde à apresentação oral de uma atividade desenvolvida em sala de aula com os alunos, dentro da temática do evento. Esta apresentação pode ser presencial ou online. Caso você queira submeter um relato de experiência, acesse o ícone “SUBMISSÃO DE TRABALHOS” para maiores informações. Limite de participantes: 50 presenciais (e 90 virtuais).

     TRANSMISSÃO ONLINE Teremos a mediação de um painel com a apresentação de 3 trabalhos (2 do Brasil e um de Portugal) na voz dos alunos acompanhados dos seus professores, como resultado do processo de ensino por meio de metodologias ativas.


    Aos participantes de outras cidades, clique aqui e veja as sugestões de hotéis próximos ao local do evento.


    Valor do Estacionamento R$. Mediante a carimbo que deverá ser coletado com organização do evento.


    OBS.: Haverá uma sala de webconferência aberta no dia do evento entre as 7h30 e 17h00 no horário brasileiro (10h30 e 20h00 no horário português) para auxiliar no esclarecimento de dúvidas quanto ao acesso das atividades realizadas via internet. O endereço é http://webconf.editorapositivo.com.br/tirarduvidas.

    Edições anteriores

    I SNIPE (2013)
    Leia mais
    II SNIPE (2014)
    Leia mais
    III SNIPE e I SIPPI (2015)
    Leia mais
    IV SNIPE e II SIPPI (2016)
    Leia mais
    V SNIPE & III SIPPI (2017)
    Leia mais

    Como chegar

    Próximos Eventos

    2018 - VI Seminário Nacional Investigando Práticas de Ensino (SNIPE)

    2018 - IV Seminário Internacional de Práticas Pedagógicas Inovadoras (SIPPI)

    Avaliação / Certificados de Participação

    Em até 5 dias úteis após os seminários, você receberá o link para avaliar o evento e emitir seu certificado de participação.

    Realização

    Apoiadores